Para Lá da Kapa

DESTAQUES DA SEMANA

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Sete Estranhos no El Royal | Análise de cinema


Título: Sete Estranhos no El Royale (Bad Times at the El Royale)
Realizador: Drew Goddard
Estreia: 18 de outubro de 2018
Idade que Recomendamos: +16 (maturidade, cenas sangrentas e perversas)
Género: Mistério Psicológico (Drama e Suspense)
Duração: 140 minutos

Tipicamente americano, “Sete Estranhos no El Royal” apresenta uma parábola que quer ser diferente. Mas, no fundo, será tudo areia da mesma praia?


Para começar, destaco os cenários e adereços cénicos. São a particularidade mais briosa do filme, sob o pretexto do decadente hotel luxuoso El Royale, construído na fronteira entre os estados da Califórnia e do Nevada. No estabelecimento, os hóspedes têm a opção de residir no glamoroso Nevada ou no majestoso sol poente da Califórnia. Embora a ideia não seja inédita, foi abordada com eloquência, conseguindo conciliar beleza estética com um ambiente mortífero.

O filme tem uma boa dose de mistério vintage. Com mais de duas horas de duração, há oportunidades para apresentar e aprofundar cada uma das personagens, que, como o próprio título indica, se resumem a sete entidades.


Sendo os mistérios psicológicos um dos temas que mais aprecio, é de esperar que conheça vários títulos do tema e, apesar de "Sete Estranhos no El Royale" se distinguir pela sua expressividade estóica, dispersa-se nas trivialidades que regem os filmes americanos. Revela semelhantes a outros títulos do género, como "Terminal". Todavia, a grande desilusão veio com o final mais feliz e esperado possível e da consciência das personagens. Muito embora tentem desenvolvê-las seguras e de mentalidades distintas, elas vão de encontro à ação padrão do guião.

Abordando o elenco, acredito que se justifica a separação deste em dois grupos — o dos naturais e o dos artificiais. Por um lado, temos o dos naturais, onde incluo o Jeff Bridges, a Cynthia Erivo, a Dakota Johnson e o Jon Hamm.  Este grupo contribuiu para o encanto do El Royale, com atuações exímias e autênticas. Curiosamente, foi este conjunto de estrelas a iniciar o filme. 
Por outro lado, mais tarde surgem os atores Chris HemsworthCailee Spaeny Lewis Pullman. Cada um destes três representa uma classe profunda, ainda que minoritária, da sociedade. Porém, todos carecem de individualidade e veracidade. Não há dúvidas que o Chris Hemsworth era o grande destaque deste filme, não só pelo seu papel como Thor na saga "Vingadores" como também pela sua prestação shirtless durante a longa-metragem. Começou com o pé direito, encarnando um vilão em ascensão, para terminar aos tropeções, como uma personagem débil e carente.

Parte do 'grupo dos naturais'

O filme é comprido, desenvolvendo-se numa primorosa primeira hora e meia imprevisível (dedicada ao 'grupo dos naturais'). Depois, aproxima-se do desfecho e entra em declínio, onde encontramos  um fim indigno.

"Sete Estranhos no El Royal" vive um policial ao estilo dos anos 70, onde a derradeira questão é — quem acabará vivo? A resposta verifica-se, infelizmente, frouxa.


Sinopse | CONHECE ESTE HOTEL DE SONHO

Sete estranhos, cada um com um segredo por enterrar, encontram-se no El Royale, em Lake Tahoe, um hotel decadente com um passado sombrio. Durante uma noite fatídica, todos terão uma última oportunidade de se redimir... antes que tudo corra mal.

Trailer | RESERVA UM QUARTO NO EL ROYALE


Avaliamos — 4,1/5,0 estrelas


VÊ TAMBÉM


A Livraria | Crítica do filme

A Livraria | Crítica do filme


Venom | Análise do filme Marvel

Venom | Análise do filme Marvel


domingo, 21 de outubro de 2018

Venom | Análise do filme Marvel


venom 2018
Título: Venom
Realizadores: Ruben Fleischer
Estreia: 04 de outubro de 2018
Idade que Recomendamos: +10
Género: Ação, Drama, Scifi
Duração: 112 minutos

"Venom" não parece um filme Marvel. Com uma gravidade bem-humorada, apresenta um guião eletrizante e um conjunto credível de sensações. Entramos como espectadores, saímos como cúmplices. 


Na minha perspetiva, os filmes Marvel têm estado numa espiral de decadência (caso queiras saber mais ou desmentir-me, carrega aqui 😉). Tanto que, quando chegou a vez de "Venom", estava já num estado de profundo ceticismo. O filme surpreendeu, não só por evitar o dramatismo exagerado dos últimos blockbusters da Marvel, mas também pelo humor digno e contrário às comédias disparatadas (como o "Homem-Formiga e a Vespa" e "Deadpool 2"). 

A primeira meia-hora de "Venom" esteve aquém do resto do filme. Embora tenha sido necessário para contextualizar o nosso protagonista, acredito que ainda podia ser aprimorado. Depois desta parte, entramos numa viajem de auto-descoberta espantosa e eletrizante. É sabido que esta longa-metragem é apenas o começo de Venom, a apresentação formal do anti-herói, digamos. Todavia, em vez de apresentarem a personagem com uma forte componente visual, como foi o caso de "Pantera Negra", os cineastas optaram por uma vertente mais sensacionalista, e acertaram em cheio. 

"Venom" tem uma notável componente sensitiva. A meio do filme, encontrei-me a sentir inveja da personagem. Isto é comum? Não. 

Venom | Análise do filme Marvel
Eddie Brock e o Simbionte (Venom)

Certamente, não basta um guião recheado de sensações. Para atingir o público, a história tem de ser minimamente credível e, se possível, realista. Ora, em oposição à maioria dos filmes Marvel dos últimos anos, "Venom" apresenta um mundo similar ao nosso, e o que fantasia é regido da bem-vinda ficção científica.

Em relação ao elenco, temos Tom Hardy como Eddie Brock/Venom, Riz Ahmed como o vilão-visionário Carlton Drake e Michelle Williams como a adorada Anne Weying. Enquanto os nossos heróis Eddie e Anna assentam como uma luva na história, o vilão Carlton pareceu-me mecanizado, como se tivesse de ser o vilão porque... bem, porque sim. Ainda refiro a atriz Jenny Slate, que representou fielmente a mente científica — Qual é o limite da ciência?

Venom, Crítica de cinema

Finalmente, falemos da componente visual de "Venom". Os efeitos e adereços cénicos são aceitáveis. Não são nada de outro mundo, mas acompanham a tenacidade do guião.

"Venom" destaca-se pela forma como interage com o público. Tenta ser mais do que uma história da carochinha, e consegue-o.


P.S. — Para variar, contrariei a crítica americana, como podes ver pelo IMDb. Concordas com que perspetiva?

Sinopse | CONHECE O FILME MARVEL DO MOMENTO

Um dos mais complexos e enigmáticos anti-heróis da Marvel chega ao grande ecrãs com Tom Hardy no papel do letal protetor reconhecido como... Venom.

No seguimento de um escândalo, o jornalista de investigação Eddie Brock tenta descobrir o que se passa na misteriosa Life Foundation, mas acaba por se tornar hospedeiro involuntário de um alienígena simbionte, conferindo-lhes super-poderes e um alter ego violento.

Trailer | APRESENTA-TE AO VENOM


Avaliamos — 4,2/5,0 estrelas

Venom | Análise do filme Marvel

VÊ TAMBÉM


Vingadores: Guerra do Infinito | Crítica

Vingadores: Guerra do Infinito | Crítica


O Predador | Análise da sequela (2018)

O Predador | Análise da sequela (2018)


sábado, 20 de outubro de 2018

Resultado do Passatempo | A Sereia de Brighton

Com o Halloween prestes a chegar, não há melhor companheiro que um policial misterioso. Sabe se és o vencedor de "A Sereia de Brighton".



O vencedor deste passatempo literário é:

Maria Meneses


Parabéns! Para receberes o exemplar, envia-nos os teus dados pelo contacto do blogue (na barra lateral) ou por mensagem privada no facebook.

Se ainda não foi desta que foste nomeado, não desanimes! Dentro de poucos dias, abriremos um novo passatempo literário 😉.




sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Johnny English Volta a Atacar | Crítica à comédia


Título: Johnny English Volta a Atacar (Johnny English Strikes Again)
Realizadores: David Kerr
Estreia: 04 de outubro de 2018
Idade que Recomendamos: +8
Género: Comédia, Drama e Aventura
Duração: 88 minutos

Com um humor tipicamente alucinado, "Johnny English 3" é a prescrição ideal para quem carece de uma sessão de gargalhadas. Será o teu caso?


Não deve haver ninguém que ainda não tenha sido apresentado às comédias tresloucadas do ator Rowan Atkinson. Alguns reconhecem-no por Johnny English, e a maioria (onde eu me incluo) trata-o como Mr. Bean. O seu humor usualmente estúpido também não passa desapercebido, marcando em força os anos 90.

Embora Mr. Bean faça parte do nosso passado, muitos estavam já saturados do seu índole 'pateta'. Por isto, temia que "Johnny English 3" caísse em desgraça. Terá sido este o caso? O povo português responde nitidamente a esta pergunta — durante a semana de estreia, mais de 88 mil portugueses visitaram este comediante ao cinema.

Johnny English Volta a Ataca opinião

O filme fornece umas boas três dezenas de oportunidades para libertares o fôlego numa gargalhada. Mais que um idiota, o Sr. English desenvolveu uma personagem sólida, com passado e caráter. O guião não é tão coeso, dedicando-se a fluir piadas. Afinal, haveria alguma forma lógica de colocar o Sr. English aos serviços de Inglaterra, pela terceira vez? Com afirma o ditado:

Não há duas, sem três.

Para além do Atkinson, destaco a Olga Kurylenko (de "O Esquecido" e "007") e o Ben Miller (de "Death in Paradise"). Este trio formou uma equipa descomplicada e 100% animada. Contrariamente, a Emma Thompson parecia uma peça de outro puzzle. É uma atriz que tenho em alta estima, mas não é, garantidamente, uma mestre em fazer comédias sem compasso.

Johnny English 3 análise

A banda sonora e adereços cénicos da comédia são de arrasar. Se os gadgets dos agentes secretos costumam ser futuristas, letais e discretos, os instrumentos de espionagem de Johnny são incrédulos e obsoletos. Como podes ver pela imagem acima, quando se trata de salvar Inglaterra, passos de dança e bom humor não faltam à metodologia astuta do Sr. English.

Dinâmico e atual, Johnny English regressa rejuvenescido do túmulo. Determinado a salvar o país, ridiculariza tudo o que cruza o seu caminho.


Sinopse | RECORDA O ESPIÃO DO MOMENTO

O agente secreto regressa para uma missão! A aventura tem início no momento em que um ataque cibernético revela a identidade de todos os agentes britânicos no ativo, deixando Johnny English como a última esperança dos serviços secretos.

Chamado da sua reforma, Johnny English entra em ação para descobrir o hacker responsável pelo ataque. Habituado a métodos analógicos, Johnny English vê-se agora perante os desafios da tecnologia moderna.

Trailer | CONHECE O MUNDO CAÓTICO DE JOHNNY ENGLISH


Avaliamos — 4,0/5,0 estrelas


VÊ TAMBÉM


O Espião Que Me Tramou | Análise do filme

O Espião Que Me Tramou | Análise do filme


Diferente do esperado, "O Espião Que Me Tramou" conquista facilmente lugar entre as piores comédias do ano.
A Turma da Noite | Crítica à comédia

A Turma da Noite | Crítica à comédia

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Publicações da Semana 29

Uma semana destinada ao público jovem, abordámos um clássico de bruxaria traquina e uma aventura gelada pelo mundo dos Yetis.


Se o Harry Potter conquistou os adultos, muito além das crianças, então, talvez "O Mistério da Casa do Relógio surta um efeito semelhante. Infelizmente, esse não é o caso e, o que podia ser especial, revela-se "mais um" título do tema. Sabe mais do filme!

O mundo dos Yetis pode parecer um pequeno e simples filme juvenil. No entanto, a animação consegue superar as expectativas, com humor, personagens caricatas e uma banda sonora deslumbrante. Descobre "Smallfoot" aqui!

Smallfoot e Casa do Relógio

VÊ TAMBÉM


Passatempo Literário | A Sereia de Brighton

Passatempo Literário | A Sereia de Brighton


quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Passatempo Literário | A Sereia de Brighton

Para começar o mês das bruxas em glória, oferecemos um livro acabado de lançar, "A Sereia de Brighton". Não percas!


Passatempo Literário | A Sereia de Brighton

Para participar, basta:

Funciona como uma entrada extra:

O passatempo termina às 23H59 do dia 14 de outubro e é válido para residentes em Portugal.
Boa Sorte😉!


Sinopse | CONHECE A SEREIA DE BRIGHTON

As adolescentes Nell e Jude descobrem o corpo de uma jovem na praia e, quando ninguém o reclama, a vítima passa a ser conhecida como A Sereia de Brighton. Três semanas mais tarde, Jude desaparece e Nell, ainda chocada com os acontecimentos na praia, fica completamente desamparada.

Passados 25 anos, Nell vive atormentada pelo passado, abandonando o emprego para descobrir a verdadeira identidade da jovem assassinada – e o que aconteceu à amiga naquele verão inesquecível.

Quanto mais perto fica da verdade, maior é o perigo. Alguém parece estar a seguir cada passo de Nell, que já não sabe em quem confiar.

VÊ TAMBÉM


Morte na Arena, de Pedro Garcia Rosado | Resenha Literária

Morte na Arena, de Pedro Garcia Rosado | Resenha Literária


Sono, de Haruki Murakami | Resenha literária

Sono, de Haruki Murakami | Resenha literária


quarta-feira, 3 de outubro de 2018

O Mistério da Casa do Relógio | Análise do filme


O Mistério da Casa do Relógio | Análise do filme
Título: O Mistério da Casa do Relógio (The House with a Clock in Its Walls)
Realizadores: Eli Roth
Estreia: 20 de setembro de 2018
Idade que Recomendamos: +10
Género: Aventura, Drama e Fantasia
Duração: 104 minutos

"O Mistério da Casa do Relógio" é globalmente satisfatório. Tem um guião simples, um elenco pequeno, adereços cénicos básicos e uma pitada de magia.


Quem viu o trailer, ouviu falar ou leu alguma crítica (como esta 😉) sobre "O Mistério da Casa do Relógio) deve suspeitar de que não estamos a falar de um conto maravilhoso. Honestamente, ver este filme é uma das muitas maneiras decentes de se perder tempo.

"O Mistério da Casa do Relógio" é dos títulos com menor orçamento dentro do género de fantasia, como "Nárnia", "Harry Potter" e "Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los". Quase logicamente, o filme não chega aos calcanhares de nenhum destes títulos.

O Mistério da Casa do Relógio Crítica

O elenco mal tem uma dúzia de membros, e os protagonistas restringem-se às três personagens da imagem abaixo (o que podia não ser um defeito, neste caso é). São alegres, fora do normal, mas com um passado corriqueiro e pouco explicado. Os atores representaram como esperado, sem nenhum destaque digno de mencionar.

A bruxaria e o ambiente soturno vivido dentro da 'Casa do Relógio' podem ser considerados uma compilação de títulos anteriores, desde "A Casa Fantasma" até à fantasia de "Monstros Fantásticos". A história em si tem um mistério parco, e a ação é escassa. 
Os adereços cénicos — incluindo umas apetitosas bolachas de nozes — são a sua maior faculdade. É, talvez, a única característica do filme que pode ser considerada mágica.

O Mistério da Casa do Relógio | Análise do filme

Por tudo o que referi, fiquei com a ideia de que "O Mistério da Casa do Relógio" podia ser uma paródia de "Monstros Fantásticos", típico dos blockbusters. A única objeção contra esta conclusão são as personagens que, embora triviais, são demasiado sóbrias para o efeito. Ironicamente, foi como se tentassem ser levadas a sério, mas temessem já estar derrotadas.

Ao contrário de "Harry Potter", este é um filme exclusivo a crianças. Infelizmente, temo que não capte a atenção das mais pequenas (é sombrio, maduro e em inglês), nem das mais velhas (por ser "mais um" do género).

"O Mistério da Casa do Relógio" enquadra-se numa sessão caseira de cinema, quando não temos mais nada para ver com os pequenos.


Sinopse | ENTRA NO MISTÉRIO MÁGICO

A aventura mágica conta a arrepiante história de Lewis (Owen Vaccaro) que aos 10 anos se muda para a assustadora casa do tio (Jack Black) que oculta um misterioso relógio no seu interior. A nova cidade é bastante pacata, mas isso muda quando Lewis acidentalmente acorda os mortos e a cidade é invadida por um mundo secreto de bruxas e feiticeiros.

Trailer | O MISTÉRIO DA CASA DO RELÓGIO


Avaliamos — 2,6/5,0 estrelas

O Mistério da Casa do Relógio | Análise do filme

VÊ TAMBÉM


Siren | Análise do primeiro episódio

Siren | Análise do primeiro episódio


Smallfoot - Uma Aventura Gelada | Resenha Bambina

Smallfoot - Uma Aventura Gelada | Resenha Bambina


terça-feira, 2 de outubro de 2018

Smallfoot - Uma Aventura Gelada | Resenha Bambina


Smallfoot - Uma Aventura Gelada
Título: Smallfoot - Uma Aventura Gelada
Realizadores: Glenn Ficarra e Ryan O'Loughlin
Estreia: 04 de outubro de 2018
Idade que Recomendamos: todas
Género: Aventura, Drama e Ação
Duração: 96 minutos

"Smallfoot" é um símbolo de alegria! Com um grupo de Yetis animados, o filme apresenta uma banda sonora melodiosa. Tens coragem para esta aventura gelada?


"Smallfoot — Uma Aventura Gelada" revive uma das lendas mais antigas, a existência do Abominável Homem das Neves (Yeti) pela região dos Himalaias. De facto, desde 1961 que o governo do Nepal declarou oficialmente que as criaturas existem. Desde este anúncio, houve diversos clássicos de horror/terror sobre o tema, todavia, Yetis em versão animada é uma estreia.

A versão inglesa do filme conta com Channing TatumJames Corden, Common e Zendaya; enquanto a tradução portuguesa conta com David Carreira, Ana BacalhauPedro Giestas e Eduardo Madeira. Como já é tradição no blogue, assisti ao filme em português. Tenho a destacar as melodias. As melhores partes do filme são durante as cenas musicais. Tanto a animação como as vozes encantam acompanhadas por uma sinfonia atual e possante.

Smallfoot - Uma Aventura Gelada | Resenha Bambina

O enredo agrada, embora termine com o desfecho típico das obras infantis. O tema da história é muito belo, principalmente devido às animações alegres e coloridas. A maquinaria que vive em torno e dentro da montanha dos Yetis é deslumbrante, tal como as histórias malucas em que os Yetis acreditam (e que suspeito ser uma alegoria frontal à maneira de ser da nossa comunidade).
Em paralelo, é um filme educativo sobre os ambientes nórdicos, revelando o porquê de não sobrevivermos no topo dos Himalaias. Nele, também encontramos algumas referências maduras, como a 'versão pé grande' do jogo do "Pac-Man".

A tradução foi quase perfeita, apenas com atraso num par de falas. Enérgicas e entusiasmadas, as vozes protagonistas vigoraram. Não há um vilão assumido, mas antes más decisões (consequência do medo do desconhecido). Neste ponto, apresentaram bem o mistério e temor que ronda a lenda ancestral do Pé Grande. Descobre já a seguir a verdadeira história do Monstro Abominável das Neves!

Smallfoot Crítica

Yeti | A VERDADEIRA HISTÓRIA

No topo do mundo, nomeadamente na terra congelada das Montanhas dos Himalaias, esconde-se um terrível e imponente monstro-homem conhecido como o Abominável Homem das Neves!

Atualmente, os moradores ainda confessam ouvir os sussurros da criatura, também chamada de Yeti (ou Ieti). Por vezes, um deles tem a sorte tremenda (ou azar, dependendo da perspetiva) de encontrar-se com a criatura gigante, sem aviso prévio, apenas para a ver desaparecer num redemoinho rodopiante de vento, gelo e neve. E os aldeões não são os únicos a testemunhar os esquivos gigantes do gelo a percorrerem a perigosa cadeia montanhosa entre o Nepal e o Tibete. De acordo com o folclore, o monstruoso Yeti pode ser algum tipo de “elo perdido” — alguma coisa na escala evolutiva entre macaco, homem e semi-deus — uma força de natureza inigualável que NÃO deve ser levada em conta.

E, ao contrário de seus primos cryptid, Sasquatch e Bigfoot, as origens secretas do Yeti podem ser discernidas em antigos ritos religiosos pré-budistas. Antigamente, os aldeões da montanha uma vez adoraram o Yeti como uma entidade sobrenatural - um deus da caça. Representavam-no em totens enfeitados nas em aldeias, nos templos e nos santuários, como um híbrido macaco-humano ameaçador. Ilustrações retratam o colosso da neve empunhando uma grande arma de pedra, preparada para cortar bestas e homens.

Tendo uma animação soberba e uma musicalidade encantadora, "Smallfoot" acompanha os pequenos enquanto alegra os seus acompanhantes.


Sinopse | CONHECE O MUNDO DE SMALLFOOT

"Smallfoot – Uma Aventura Gelada" dá a volta à lenda do "Pé Grande" quando um jovem Yeti encontra algo que julgava não existir – um humano! A notícia da existência deste "Pé Pequeno" deixa a comunidade de Yetis em tumulto sobre o que mais poderá habitar o mundo para lá da sua vila carregada de neve, numa história sobre amizade, coragem e a alegria da descoberta.

Trailer | PREPARA-TE PARA A AVENTURA MAIS GELADA


Avaliamos — 4,1/5,0 estrelas

Smallfoot análise

VÊ TAMBÉM